O que estudar para a prova de Português do Enem 2021?

No Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a Língua Portuguesa, vem junto com as disciplinas de Literatura, Língua Estrangeira, Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação, compõe a área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias.

Aplicada no primeiro dia do Exame, essa é uma das provas que mais preocupam os candidatos, afinal, é extremamente densa e cansativa. Em sua maioria, os enunciados são repletos de textos, o que exige muita leitura e atenção.

No que diz respeito às questões de Português, então, essa preocupação se acentua. Se olharmos a Matriz de Referência do Enem, documento que descreve as competências e habilidades exigidas dos participantes, perceberemos que ela é bastante ampla e foca muito nas capacidades de leitura, compreensão e interpretação de textos. Entretanto, é pouco esclarecedora quanto aos conteúdos mais específicos de Língua Portuguesa que são cobrados. 

Isso, infelizmente, acaba interferindo de forma negativa no estudo daqueles que, diante de tantos assuntos, não sabem nem por onde começar. Pensando nisso, fizemos um levantamento dos conteúdos de Português que têm sido mais recorrentes ao longo das edições do Exame para auxiliar nos seus estudos. Confira!

Norma culta

Ainda que a gramática por si só não seja o foco do Enem, isso não quer dizer que você não deve estudá-la. 

Dominar a norma culta também nos ajuda a conhecer o funcionamento da língua, e isso pode ser decisivo até mesmo na hora de compreender a estrutura e o sentido de um texto. 

Logo, dê uma atenção especial a estes tópicos: 

  • estrutura e formação de palavras;
  • classes gramaticais;
  • pontuação e sintaxe.

Variação linguística

Além de dominar a norma culta, você deve reconhecer que a capacidade de se adaptar é um fenômeno natural da língua. 

Consequentemente, as diferenças fazem parte e enriquecem a cultura de um povo, por isso devem ser valorizadas, e não classificadas como erro. 

Ademais, se pensarmos que a prova do Enem é aplicada em todo o nosso vasto território nacional, é perfeitamente compreensível que a variação linguística seja contemplada na prova de Português. 

Portanto, atente-se aos quatro pilares de variação: 

  • histórico;
  • regional;
  • social e situacional. 

Linguagem verbal, não verbal e mista

Como dissemos anteriormente, a prova de Língua Portuguesa no Enem é repleta de textos. 

No entanto, engana-se quem acredita que vai encontrar apenas textos escritos. 

Se você já viu alguma prova antiga do Exame, certamente percebeu que nela também vai encontrar gráficos, infográficos, tiras, charges, propagandas, etc. 

Ou seja, são textos em que tanto a linguagem verbal quanto a não verbal e a mista comunicam algo; por isso, eles devem, sim, ser considerados na resolução das questões. 

Lembre-se: a linguagem verbal é expressa por meio de palavras (faladas ou escritas), e a não verbal, por meio de imagens, sons, gestos, etc. 

Quando ambas são utilizadas simultaneamente, temos a linguagem mista. 

Tipos e gêneros textuais

Exatamente por explorar uma grande variedade de textos, outro conteúdo que merece nossa atenção são os tipos e gêneros textuais. 

Quando falamos em tipo, estamos nos referindo à classificação dos textos de acordo com os aspectos linguísticos com que são organizados, como: estrutura, linguagem, vocabulário, construções sintáticas, etc. 

Assim, temos os seguintes tipos: 

  1. narração;
  2. descrição;
  3. exposição;
  4. argumentação;
  5. e injunção.

Gênero textual, por sua vez, é a materialização dos textos nas diversas situações do cotidiano. 

Por acompanharem as necessidades dos falantes e as situações em que estão inseridos, os gêneros são inúmeros, por exemplo: 

  • notícia;
  • conto maravilhoso;
  • propaganda;
  • artigo de opinião;
  • resenha;
  • manual de instruções, etc.

Coesão e coerência

Dois elementos que caminham juntos dentro de um texto, conferindo-lhe textualidade, coesão e coerência são responsáveis por garantir uma leitura eficaz de qualquer informação. 

Ou seja, para que um texto seja um todo significativo, ele deve ser coeso e coerente. Do contrário, torna-se apenas um amontoado de frases soltas, sem fazer sentido ao leitor.

Não esqueça: enquanto a coesão trata da organização entre as diferentes partes de um texto, o que é feito por meio de preposições, conjunções, pronomes, advérbios, sinais de pontuação, etc., a coerência é responsável por estabelecer a ligação lógica de ideias, conferindo sentido a um texto. 

Intertextualidade

De modo simples, podemos entender a intertextualidade como o diálogo entre textos. Desse modo, é um recurso bem importante para a interpretação. 

Ao perceber que um texto dialoga com outros, seja quanto à forma ou quanto ao conteúdo, você pode reconhecer a influência exercida pelo texto fonte e ampliar sua compreensão sobre o texto/assunto em questão. 

Exemplos de intertextualidade são: 

  • citações;
  • paráfrases;
  • e paródias.

Funções da Linguagem

Figurinha carimbada no Enem, as funções da linguagem estão diretamente relacionadas à intencionalidade do ato comunicativo. 

Vale destacar que, ao produzir um texto (verbal ou não verbal), todo falante está em determinado contexto e tem uma intenção; sendo assim, para cumprir esse objetivo, pode recorrer a uma das seis funções da linguagem: emotiva (ou expressiva), apelativa (ou conativa), poética, fática, metalinguística, referencial (ou denotativa).

Figuras de linguagem

As figuras de linguagem são recursos muito interessantes da nossa língua, especialmente porque têm a função de conferir maior expressividade aos textos. 

Isso se dá por meio da exploração do sentido conotativo, ou seja, do uso da linguagem em seu sentido figurado, criativo, que resulta em uma significação ampla, rica e bem diferente da literal (denotativa). 

É por esse motivo, inclusive, que elas são mais encontradas em textos literários.

Alguns exemplos de figuras de linguagem: 

  • comparação;
  • metáfora;
  • metonímia;
  • antítese;
  • paradoxo;
  • eufemismo;
  • ironia;
  • hipérbato;
  • anáfora;
  • pleonasmo;
  • aliteração, etc.

Compreensão e interpretação

Para finalizar, não podemos deixar de falar daquelas competências que não são apenas cobradas na prova de português, mas, sim, perpassam todas as áreas do conhecimento.

Compreender é reconhecer o sentido do que foi lido. 

Sendo assim, quando um enunciado pedir a compreensão, você deverá se limitar ao que está escrito explicitamente no texto. 

Já para interpretar, você deverá utilizar sua capacidade crítica, fazer inferências, conclusões e deduções acerca do que está implícito no texto. 

Atentar-se a essa diferença, portanto, é fundamental para um bom desempenho no Enem.

E aí, agora já dá para se preparar não é?

Se você ainda não começou, está na hora de começar a estudar! O Enem 2020 já está aí. Continue acompanhando o nosso blog para outras dicas sobre como mandar bem nas questões de Língua Portuguesa.

Sobre o autor
Ole Educação

Ole Educação

A Olé é uma plataforma de tecnologia educacional que desenvolve projetos, baseados em comunicação, pesquisa, análise de dados e inteligência artificial. Somos formados pela a maior comunidade de edutubers (professores youtubers) do Brasil, com professores de renome que juntos contam com mais de 7 milhões de seguidores em suas plataformas digitais.

Posts Relacionados

Mostrar botões
Esconder botões