Resumão História Enem 2021: a história do Brasil no período colonial e imperial

A história do Brasil é longa, bem complexa e, depende de entender muitos pontos da história de países da Europa, principalmente Portugal, para que dessa forma você consiga entender, por exemplo, o que motivou as expansões marítimas em direção às Américas.

Além disso, você deve estudar a história da Europa e suas guerras e revoluções que possuem muita influência em como as coisas aconteceram no Brasil e nas transições de colônia para império e depois para república.

Na verdade, até hoje o Brasil sofre interferências econômicas e culturais de países estrangeiros. A história, ainda que separada em temas, sempre será um tema em que um acontecimento depende e influencia em vários outros ao redor de todo o mundo.

Para você ter um contexto bacana e se preparar para os conteúdos que o Enem 2021 pode pedir sobre História do Brasil, um bom ponto de partida é dar uma estudada nos temas:

  • Formação de Portugal;
  • Expansões islâmicas;
  • Guerras de Reconquista;
  • Revolução de Avis;
  • Período Pré-colonial;
  • Expansões Marítimas;
  • Descobrimento das Américas.

Bastante coisa, não é? 

Só que são temas importantes para te dar o contexto para entender os temas principais da história do Brasil. 

Desse ponto para a frente, vamos nos focar nos muitos temas, começando com o Descobrimento do Brasil para entender os dois momentos iniciais do país: período colonial e período imperial.

História do Brasil: um resumo do período colonial e imperial para o Enem 2021

Preparado para conhecer os principais pontos dos dois primeiros períodos da história do Brasil?

Período Colonial

É o período logo após o descobrimento das Américas e a chegada dos Portugueses. Apesar da chegada dos portugueses ter acontecido por volta de 1500, já que alguns estudiosos dizem que Pedro Álvares Cabral não foi o primeiro, o período colonial começa, na verdade, em 1530.

Antes dessa data, os portugueses vinham para o território apenas para retirar Pau Brasil, estabelecendo uma colônia só a partir de 1530. Quando eles decidem iniciar a ocupação do território, o produto escolhido para produção no território foi o açúcar.

Sim, a produção e economia açucareira é um tema para ver mais a fundo, já que, no período, era uma produto de grande apelo no mercado internacional, portugal já sabia como desenvolver seu plantio pelas experiências em terras africanas e o clima e solo brasileiro eram propícios para o plantio.

É necessário lembrar de estudar mais a fundo, ainda, sobre o período colonial, a questão da catequização dos índios e o início da exploração da mão de obra escrava africana. 

A questão dos indígenas é muito abordada, também, na parte de Literatura e Língua Portuguesa no Enem, que sempre traz algum sermão dos jesuítas para ser analisado.

Outro tema muito debatido, principalmente em relação a heranças culturais e impactos socias até hoje, é a escravidão, desde o início da chegada dos escravos, passando pela questão dos quilombos e terminando com a Lei Áurea, que aboliu a escravidão, assinada pela Princesa Isabel.

No período colonial, merece destaque, ainda, o início do processo de mineração e extração do ouro, que começa no século XVII como resultado da desvalorização e crise na economia açucareira. 

Aqui, o mais importante é lembrar que a descoberta do ouro e diamantes, principalmente em Minas Gerais e Mato Grosso, aumenta o comércio e surgimento de cidades maiores, deixando a economia mais dinâmica e flexível.

A independência do Brasil já começa nesse período, por volta de 1808, com a chegada de Dom João VI e sua instalação no Rio de Janeiro, dando início ao chamado Período Joanino.

Período Imperial

Como o próprio nome sugere, foi o período em que o Brasil deixou de ser uma colônia e passou a ser considerado um império. Seu início oficial veio com a Independência do Brasil em 1822.

Ainda que independente de Portugal, o período do império tem como primeiro governante Dom Pedro I, um português. 

Além dele, o período imperial brasileiro teve um segundo imperador, seu filho Dom Pedro II, outro português. Assim, o período se divide em primeiro reinado e segundo reinado.

Foi no primeiro reinado, outorgada, ou seja, imposta pelo imperador Dom Pedro I em  1824, a 1ª constituição brasileira. Atenção, porque essa constituição costuma aparecer muito no Enem. 

Um dado interessante: o Brasil teve 7 constituições ao longo de sua história.

É importante saber que essa constituição trazia características liberais, influenciadas pelo iluminismo europeu, mas é autoritária. 

Nela surge o poder executivo, legislativo e judiciário, mas possuía também um 4º poder, o moderador, que colocava o imperador como quem controlava os outros três, mantendo o poder nas mãos de Dom Pedro I.

Apesar da escravidão ainda existir no primeiro período imperial, sua existência não é considerada pela primeira constituição. Além disso, ela determina que existia poder de voto no país, mas que ele era censitário, o que significa que só votavam os cidadãos ricos, com um valor mínimo de renda estabelecido no documento.

Por último, é importante destacar que a constituição estabelece que o Brasil é um país oficialmente católico. Ainda que outras religiões fossem permitidas no conforto das casas, ou seja, em cultos domésticos, qualquer manifestação pública era considerada crime contra a pátria.

O primeiro reinado termina em 1831, com a abdicação de Dom Pedro I. Nessa época, Dom Pedro II tinha apenas 5 anos, não podendo assumir o cargo, o que dá início ao período regencial, que vai até 1840, dentro do segundo império.

Isso significa que quem mandava não era o imperador, mas sim um adulto responsável por Dom Pedro II e que atuava como regente do país em seu nome, ou seja, tomava as decisões políticas.

É um período marcado por diversas revoltas separatistas no país, tentativas de várias regiões do Brasil querendo se separar do sudeste para escapar dos poderes dos regentes. 

Essa instabilidade faz com que Dom Pedro II seja colocado no trono aos 14 anos para fortalecer o poder imperial e conter as revoltas, iniciando oficialmente o segundo reinado.

Nesse período o período abolicionista tem início e ganha mais força. Lembrando que o Brasil foi o último país da América a abolir a escravidão. Também é o período em que ocorre a Guerra do Paraguai, que fortalece ainda mais os movimentos de abolição pela presença de escravos lutando pelo país como soldados.

E aí, vamos gabaritar questões dos períodos Colonial e Imperial?

Paramos nosso resumão de história por aqui. Temos certeza que você vai retirar desses textos muitos pontos para aprofundar em seus estudos de história, não é?

Anote! Faça exercícios e leia os nossos conteúdos do blog para não perder nenhum ponto importante sobre as questões de História.

Última dica: faça paralelos com o que acontecia na europa durante esses dois períodos. Muita coisa da história do Brasil fica mais clara quando você entende as motivações e pensamentos que vinham dos países europeus.

Bons estudos! Vamos juntos rumo à aprovação!

Conheça o curso de Ciências Humanas do Terra Negra aqui >

Sobre o autor
Ole Educação

Ole Educação

A Olé é uma plataforma de tecnologia educacional que desenvolve projetos, baseados em comunicação, pesquisa, análise de dados e inteligência artificial. Somos formados pela a maior comunidade de edutubers (professores youtubers) do Brasil, com professores de renome que juntos contam com mais de 7 milhões de seguidores em suas plataformas digitais.

Posts Relacionados

Mostrar botões
Esconder botões